O TEMA CENTRAL DESTE BOLETIM: MULHERES FAZENDO CAMINHO AO ANDAR

Honrando mais uma vez o Dia da Mulher, milhares de mulheres camponesas, trabalhadoras, desempregadas fazem passeatas em todo o Brasil. A passeata é para se manifestarem contra a criminalização dos movimentos sociais, contra a violência que recai sobre as mulheres, contra o agronegócio e as monoculturas de eucalipto e cana. A passeata também é em defesa da soberania alimentar e energética, e do investimento público na agricultura camponesa.

Mas não é apenas no Brasil. Também nos cinco continentes a Passeata Mundial das Mulheres convida a marchar “na luta contra a privatização dos recursos naturais e dos serviços públicos. Fazemos a passeata pela soberania alimentar e energética, e contra a destruição e o controle de nossos territórios e contra as falsas soluções diante da mudança climática”.

No mundo todo há mulheres que ganham consciência, se organizam, reclamam, se empodeiram.

Este boletim é delas e para elas.

NOSSA OPINIÃO

* Mulheres empodeiradas: lutas sociais e consciência de gênero

EXAMINANDO A QUESTÃO DO GÊNERO E O AMBIENTE

* Conexão de correntes ambientais e gênero

MULHERES: IMPACTADAS E EMPODEIRADAS

* A soberania alimentar nas mãos das mulheres do ecossistema de manguezal

* Nigéria: as mulheres sofrem a maldição do petróleo

* Papua-Nova Guiné: associação e fortalecimento das mulheres em plantações de dendezeiros

* Brasil: mulheres atingidas por barragens – mudanças nos modos de vida

* Legado nada promissor: as mulheres começam a se organizar contra a mineração de ouro na Tailândia

* As mulheres e a mudança climática, as mais afetadas e as menos ouvidas

* As invisíveis mulheres e homens que resistem contra a destruição de seu território no Norte do Grande Chaco

* As mulheres Garo de Bangladesh: a vida de um povo da floresta sem floresta

* Brasil: por quem e por que lutam as mulheres, também no Dia 8 de Março

Advertisements